FREGUESIA DE CASTRO DAIRE

Castro Daire é uma vila com cerca de 4 600 habitantes, situa-se na região Centro (NUT II), distrito de Viseu, e está inserida na sub-região Dão/Lafões (NUT III). É sede de um município com uma área de 379,00 km² e 15 339 habitantes, fazendo parte das 16 freguesias que compõem o concelho.

Freguesia, e sede de concelho, é composta por aldeias limítrofes que abrange cerca de 32,9 quilómetros quadrados: Arinho, Baltar, Braços, Custilhão, Farejinhas, Fareja, Folgosa, Lamelas, Mortolgos, Mosteiro, Santa Margarida, Vale de Matos e Vila Pouca.

Geograficamente encontra-se situada num cume de um monte, o seu topónimo tem origem num antigo castro que se encontrava na parte mais alta deste lugar. Sabe-se que aqui habitaram romanos devido ao aparecimento de documentos epigráficos. Havia várias pontes romanas, entre elas, a Ponte Pedrinha, demolida em 1877 construindo-se a que, ainda hoje, possui a mesma designação e onde se encontrou uma lápide podendo datá-la da altura do imperador Caio Júlio César. Está historicamente comprovado que Castro Daire fez parte do padroado real e posteriormente à Casa do Infantado.

Castro Daire foi dominado pelo julgado da Terra de Moção, cabeça de concelho do mesmo nome com foral antigo, crê-se de D. Afonso III e foral novo no século XVI. Teve carta de foro por D. Afonso Henriques e carta de privilégios dada por D. Dinis. D. Manuel concedeu-lhe foral novo em Lisboa a 14 de Março de 1514.

No que concerne ao património arquitetónico edificado na freguesia, evidenciam-se insígnias de um passado aristocrático, nomeadamente no século XVIII, como a casa dos Fidalgos da Cerca e a Capela das Carrancas, as Casas brasonadas dos Aguilares e dos Mendonça e a Igreja Matriz de Castro Daire.

40.898499, -7.934538